Sem reforma, Brasil fica ‘no limbo’ até eleger presidente

O abandono da reforma previdenciária por Michel Temer, já com reação ameaçadora das agências de classificação de risco, repercutiu negativamente por, entre outros veículos, “Financial Times”BBC e a agência chinesa Xinhua.

O “FT” destacou que “impopularidade e acusações de corrupção descarrilharam sua agenda”, que tinha na reforma “sua peça central”. Investidores reagiram com “desapontamento”.

A rádio BBC foi além, questionando um analista da consultoria Capital Economics se “a falta da reforma previdenciária pode levar ao caos econômico no Brasil”. O analista afirmou que a decisão deixa a economia brasileira “no limbo” até as eleições presidenciais, na torcida por “um reformista” —embora ele ache mais provável a vitória de “um populista”.

A Capital Economics também avalia a intervenção militar no Rio como “cortina de fumaça” para esconder o fracasso da reforma.

O noticiário vem na sequência de alertas, nas últimas semanas, para a dívida pública crescente. O mesmo “FT”, por exemplo, recorreu ao caso brasileiro para avisar, aos investidores em mercados emergentes, que eles devem “segurar os seus chapéus”.



Fonte: Folha de São Paulo
Data: 22/02/2018