Reforma da Previdência | day-after

O Presidente Jair Bolsonaro, que levou pessoalmente o projeto de reforma da Presidência ao Congresso, com o regime de capitalização, que não valerá de imediato, uma vez que ainda será necessário aprovar lei complementar para prever as regras específicas do novo modelo, que será opcional aos trabalhadores.

Uma outra preocupação é chamar a atenção para o fato de que os empregadores também irão contribuir para a nova modalidade, buscando com isso distanciar o caso brasileiro da penosa experiência chilena.

Uma outra diferença em relação ao modelo inicialmente implantado no Chile é que, segundo o secretário, um fundo solidário vai garantir que um trabalhador que tenha contribuído pouco tenha assegurado o pagamento de ao menos um salário mínimo. Ele não deu detalhes de quem vai se responsabilizar por esse fundo.



Fonte: O ESTADO DE SÃO PAULO
Data: 22/02/2019