JUROS BAIXOS, CÂMBIO ALTO

É bom se acostumar com juros mais baixos e câmbio mais alto, afirma Guedes.

Em Washington, ministro diz que as pessoas não entenderam que política econômica do Brasil mudou

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou não estar preocupado com o novo recorde de cotação do dólar, que fechou nesta segunda-feira (25) em R$ 4,215, e acrescentou que é bom o país se acostumar com o elevado patamar da moeda estrangeira ainda por um bom tempo.

Na avaliação de Guedes, a alta do dólar é reflexo de uma mudança na política econômica brasileira, com juros mais baixos e câmbio de equilíbrio alto, que ainda não foi compreendida pela maior parte da população.

Segundo o ministro, a principal consequência do câmbio flutuante hoje será o aumento das importações e a queda das exportações brasileiras.

“O dólar está alto. Qual o problema? Zero. Nem inflação ele [dólar alto] está causando. Vamos importar um pouco mais e exportar um pouco menos”, afirmou o ministro nesta segunda em Washington.

“É bom se acostumar com juros mais baixos por um bom tempo e com o câmbio mais alto por um bom tempo.”

A cotação do dólar subiu 0,45% nesta segunda e fechou a R$ 4,215, novo recorde nominal desde a criação do Plano Real.

O recorde anterior era da segunda-feira passada (18), quando a moeda foi a R$ 4,2070 e superou a marca anterior, de R$ 4,197, no período eleitoral de 2018.

Para Guedes, é “normal” que países que tenham maior controle fiscal exerçam uma política monetária mais frouxa e, consequentemente, enfrentem um câmbio de equilíbrio alto, o que, na sua avaliação, vai gerar movimento interessante para a volta do investimento no país.



Fonte: FOLHA DE SÃO PAULO
Data: 27/11/2019