Fundos Imobiliários caem 3,7% no ano com alta dos juros e incerteza; baixa cria oportunidades

Depois de subir 5% no ano até abril, os fundos imobiliários entraram em um período de queda que zerou os ganhos acumulados. O Índice de Fundos Imobiliários (Ifix), que acompanha as cotas negociadas em bolsa, acumula baixa de 3,7% até sexta-feira, dia 12 de agosto, apesar dos sinais de recuperação do mercado imobiliário, que segue a economia, mesmo que lentamente.

A queda das cotas é vista por especialistas como uma oportunidade para o investidor que quer entrar nesse mercado, diversificando e investindo em imóveis por valores baixos, a partir de R$ 1 mil, e com isenção na rentabilidade distribuída mensalmente. O ganho pode ser na valorização das cotas, que em alguns casos estão abaixo do valor dos imóveis que compõem o fundo, ou na remuneração paga pelos inquilinos e distribuída aos cotistas em relação ao valor da cota.

O Ifix caiu 5,3% em maio e 4% em junho, acompanhando a instabilidade dos mercados e a alta dos juros nos mercados futuros, que tem impacto direto nessas carteiras. Em julho, o Ifix se recuperou um pouco, 1,4%, reflexo da menor tensão envolvendo o cenário externo e a eleição no Brasil. Mas, no fim do mês, as cotas voltaram a sofrer com a decisão da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) de suspender o fundo imobiliário Mérito por suspeita de irregularidades que se assemelhariam a uma pirâmide financeira. Em agosto, o índice Ifix segue em queda, de 0,5%.





Fonte: ARENA DO PAVINI
Data: 17/08/2018